sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Nova Vida ao poeta/médico Antônio Roberto


Uma nova vida para o amigo de todos Antônio Roberto Fernandes.
Conheci Antônio Roberto através de meu Pai, que era seu amigo.
Estva eu ainda estudando no Liceu, quando recebi de meu Pai com a dedicatória gentil do acadêmico de medicina Antônio Roberto, o seu primeiro livro de poesias.
Ali estavam as "Palavras ao cadáver":
.
"Vejo-te os pés calejados
E me pergunto onde andaste
Quantos caminhos pisaste
Em busca de uma ilusão
Mas o mundo foi mesquinho
Teus caminhos se estreitaram
E o chão que teus pés pisaram
Foi todo pisado em vão.
.
Vejo-te as mãos e imagino
Que bateram, trabalharam
E o quanto talvez vibraram
Em mil carícias de amor
Hoje estão encharcadas
De formol e de protesto
Num triste e último gesto
De desespero e de dor[...]
.
[...]Cadáver, amigo estranho
Hoje ensinas a gente
A ver mais profundamente
O que a vida nos mostrar
E se há justiça de fato
Podes crer, eu não te iludo
Que a morte te dará tudo
Que a vida não soube dar."
.
Antônio Roberto, médico, exímio funcionário do Banco do Brasil, poeta, pai amoroso, amante das letras e das artes, o mundo parece que não te merecia.
E tu vives agora a situação que descreveste nas palavras ao cadáver.
.
Todavia, prometo a ti, Poeta Antônio Roberto, parodiando os teus versos que a tua Vida Nova te abrirá novas e sublimes possibilidades que a nossa estreita e limitada vida terrena não
nos pode oferecer.
.
Esteja com Deus!
.
.

3 comentários:

Luis Tavares disse...

A morte do poeta
Ao poeta Antonio Roberto Fernandes, falecido nas primeiras horas de hoje...

Não diga "morte" quando o poeta parte,
Posto que quando parte não se acaba
Mas dignifica a vida com sua arte,
Fazendo brotar vida da palavra...

Posto que a morte é apenas uma parte
Por meio da qual toda a vida se alinhava,
Resume tudo, como um estandarte
Bem logo quando ninguém imaginava...

Não diga "morte", portanto... Diga um verso...
O poeta não morreu... Está disperso
Inundando todos nós com os versos seus...

Não diga "morte"... Mas "Até um dia
Quando conversaremos em poesia"...
Diga ao poeta: "Fica com Deus"...

Juliana Tavares disse...

Que Deus abençoe e guarde o nosso grande poeta!

Gustavo Rangel disse...

Dr. Flávio, estou preocupado com a volta da dengue no nosso município e já postei algo sobre o assunto e a homeopatia lá no meu blog. Acredito que o Sr também poderia entrar nessa causa, e lutarmos pelo que já existe em Macaé onde é utilizada a homeopatia. Eu e minha familia tomamos e minha esposa teve dengue mas não com os sintomas comuns e nem se deu conta que teve dengue. Acredito que funcionou a homeopatia, por isso poderíamos começar uma campanha para utilização da homeopatia contra a dengue em Campos. O que o Sr. acha? abs