sábado, 31 de janeiro de 2009

LAÍS PEIXOTO, uma valente que volta


Acompanhando a idéia do amigo Ricardo André Vasconcelos, de homenagear a Laís com um poema, vou deixar aqui a poesia de Auta de Souza que consta de seu único livro HORTO e que trata-se de uma rara e sublime exposição sobre o tema que o Padre Antônio Vieira considerava " a mais indesejável das gentes", que é a morte.


Fugir a mágoa terrena
E ao sonho que faz sofrer
Deixar o mundo sem pena
Será morrer?
.
Fugir neste anseio infindo
À treva do anoitecer,
Buscar a aurora sorrindo
Será morrer?
.
E ao grito que a dor arranca
E o coração faz tremer,
Voar uma pomba branca
Será morrer?
.

Lá vai a pomba voando
Livre, através dos espaços...
Sacode as asas cantando:
"Quebrei meus laços!"
.
Aqui n’amplidão liberta,
Quem pode deter-me os passos?
Deixei a prisão deserta,
"Quebrei meus laços!"
.

Jesus, este vôo infindo
Há de amparar-me nos braços,
Enquanto eu direi sorrindo
"Quebrei meus laços!"

Auta de Souza (HORTO)

E rogando a Deus que receba essa corajosa mulher, que enfrentou a ironia, enfrentou a crueldade humana, a estupidez dos poderosos e a covardia dos pusilânimes.

Que ela receba a glória por suas atitudes e por seu caráter sincero, amigo, bondoso e cativante!

Viva Lalá!
Viva! ... Lalá!

(A foto acima é "emprestada so blog do Ricardo André e ali estão na ordem da esquerda para a direita, as irmãs, as filhas do Peixotinho e D.Baby : Marise, Alcione, Laís, Joana e Nina)

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

O CONTRA-EXEMPLO DA ELITE (artigo no Monitor Campista)


O CONTRA-EXEMPLO DA ELITE
"E o rei Herodes, ouvindo isto, perturbou-se, e toda Jerusalém com ele." Mt 2:3
O exemplo vem de cima, diz a sabedoria popular. Já foi dito que uma sociedade evolui psicologicamente, culturalmente e sociologicamente através do exemplo de dignidade de seus governantes. Uma elite que pauta sua conduta pela ética e por princípios morais elevados certamente conduz os seus tutelados a um maior padrão moral e ético. A sociedade reflete no nível coletivo o padrão psíquico de sua classe dirigente. Ela evolui em uníssono com os bons governantes e entra em processo de degradação moral e ética com o exemplo indigno, exposto de modo ostensivo pelas elites do poder. Quem primeiro observou esse fenômeno foi o evangelista Mateus, referindo-se ao momento em que Herodes soube pelos magos do oriente, que um rei havia nascido. Ele perturbou-se, isto é entrou em estado de pânico. Naturalmente, temendo perder as vantagens ilícitas sua posição. Este transtorno psíquico de Herodes produziu uma ansiedade generalizada por toda a população de Jerusalém. Através dos tempos os herodes tem se multiplicado. O arquétipo herodes é de mandatários de poder temporal absolutamente indignos. São corruptos, que vendem a sua alma, traem seu povo e desesperam-se ante a possibilidade do eclipse de seu poder. Ademais, tornam-se grandes perdulários, devassos e se envaidecem com a ostentação de sua opulência. Com semelhante quadro estampado nas mais diversas formas de mídia, a pureza original inata do populacho também entra em processo de deterioração. Cenas extravagantes se reproduzem em todos os níveis sociais. Vivemos um destes momentos de banalização do sentimento, quando a corrupção de todos os valores morais tornou-se rotina. O sagrado reduziu-se hipocritamente a nada. Essa dissolução de valores éticos no escalão superior da sociedade difunde-se com efeito multiplicador e devastador. Ela degenera toda uma geração, que lega à geração subseqüente, estes contra-valores éticos, como se fosse a norma. É assim que, atenua-se a intolerância contra a corrupção. É desse mesmo modo que a TV impõe o degradante espetáculo da intimidade de pessoas inescrupulosas, escandalosamente expostas no vídeo. E essa devassidão devassada é considerada normal. E a quem debitar um prejuízo moral deste quilate? O contra-exemplo da elite tem efeitos deletérios por, quiçá, três gerações, fazendo crescer em proporção geométrica os seus malefícios. Que tenha Deus piedade destes novos herodes.

MONITOR CAMPISTA, sábado, 24 de janeiro de 2009

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Saulo, meu filho!




Essa fera aí da foto, meu filho Saulo, aluno do Anglo Campos, Colégio Santos Dumont, está aprovado até o


momento para três faculdades de Medicina: uma particular, a Faculdade de Medicina de Campos ( 20*) e duas públicas: a Universidade Federal Fluminense, em Niterói (22*) e a Universidade Federal do Rio de Janeiro, Campus Macaé (9*).


Ainda falta o resultado da Universidade Federal de Juiz de Fora.



Podem me chamar do que quiserem, mas só eu posso sentir o que eu estou sentindo!


Que Deus o abençoe e gratifique seu esforço e sua tenacidade!


segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Kate Lyra e Gilmar Mendes



Diante da gentileza de nossa Suprema Corte diria uma antiga personagem de porgramas humorísticos:


- Brrasileiro é ton bonzinho...!
.
.

MONITOR CAMPISTA 17/01/2009 : Coragem de Ano Novo


Refletindo sobre nossos irmãos campistas desalojados, é possível sentir quais foram suas emoções nesta época do ano. Talvez emoções de mágoa e melancolia, desesperança e frustração. A perda do abrigo é uma das mais angustiantes para o gênero humano. O psiquiatra americano Abraham Maslow, sugeriu que as nossas necessidades evoluem a partir das necessidades físicas até as espirituais. Escalonou cinco delas e as desenhou em forma de a pirâmide. São elas: 1-Necessidades fisiológicas fundamentais, como a fome, o sono, o sexo, a excreção; 2- Necessidade de Abrigo e segurança, que vão desde o sentir-se seguro dentro de uma casa a formas mais elaboradas de segurança como um emprego, estabilidade e seguro-saúde; 3- Necessidades sociais, sentimentos como ter família, pertencer a um grupo, estar em comunidade; 4-Necessidade de aprovação, do reconhecimento dos outros; 5- Necessidade de auto-realização, de transpor limites, de transcender. Considerando que o Abrigo está no segundo nível de necessidades, é possível inferir que no momento em que se tem a exata consciência de se tê-lo perdido, tem-se a sensação subjetiva de perda de sua proteção e de sua família. É uma emoção limite da alma. Acompanhando o noticiário da imprensa campista sobre a catástrofe ambiental que sobre nós se abateu, chega-se a conclusão de que perto de 50 mil pessoas passaram o Natal e o Ano Novo fora de suas casas, de seu habitat, de seus abrigos. São 50 mil seres humanos feridos em um calcanhar de Aquiles nuclear da alma. E as perdas humanas? Estas fazem crescer sobremaneira a dor. Passar estas datas sob a emoção de uma forte dor é sempre profundamente melancólico. Todavia, o Ano Novo convida inevitavelmente o homem a refletir sobre a Esperança. Inexplicável esperança, contudo, paradoxalmente real! É esse humanamente inexplicável movimento do espírito humano que se deve atribuir ao Amor de Deus. Um Deus dispensador universal de bênçãos! E é por isso que o Ano Novo suscita uma estranha Coragem ao homem. Coragem para fazer projetos, coragem para doar-se. Coragem para despojar-se de bens materiais que muita vez intoxicam o nosso espírito cansado de ambição e egoísmo. Basta de individualismo. É hora da fraternidade sem acepção de pessoas, como o amor de Deus. É época de solidariedade, de plantarmos sementes de uma nova geração sobre a Terra. Nova Terra sob um novo Céu. Terra onde a Esperança será a têmpera da evolução de nossa sociedade.

sábado, 24 de janeiro de 2009

É amanhã


Quem quer participar?

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Estou no MONITOR CAMPISTA

É com muita honra que comunico aos leitores deste blog que a paritr deste próximo sábado , estarei colaborando com o jornal MONITOR CAMPISTA no caderno Cultura com Temas variados de filosofia, cultura, religiosidade e saúde física, psíquica, individual e coletiva.

Agradeço o convite à editora do jornal Patrícia Bueno!

domingo, 11 de janeiro de 2009

ROCK é cultura... e... SOLIDARIEDADE!...

Campos Rock da Solidariedade . Os roqueiros em defesa da vida!!!

Data; Dia 25 de janeiro de 2009.

Local; Ginásio do Americano Futebol Clube

Horário; a partir das 10h.

Entrada: produtos de limpeza , alimentos não perecíveis , roupas e colchonetes.

Motivados pela solidariedade, companheirismo e a obrigação de ajudar o próximo.

No dia 25 de janeiro os músicos de Campos e região tem um encontro marcado no Ginásio do Americano. Futebol Clube.

Com o sugestivo nome de "Campos Rock da Solidariedade", este evento musical tem como objetivo central arrecadar o maior numero possível de doações para os desabrigados das enchentes em nossa região. O evento chama atenção também pela presença de varias bandas de rock, com estilos musicais diversos.

São artistas de nossa região, que priorizam a boa musicalidade com letras de autoria própria.

A programação do evento conta com a participação de 12 bandas de rock ,durante os intervalos termos o som dos DJ Nick Ferreira e Adriano Lopes , apresentação de praticantes de Skate em uma Mini-ramp e do atleta de frestylle Carlos Negão.

O projeto "Campos Rock da Solidariedade", não tem qualquer vinculo exclusivo com qualquer empresa, nem tem como objetivo obter qualquer lucro com a venda de ingressos ou similares.

O evento conta com a colaboração de voluntários, que abriram mão de qualquer pagamento ou cachê para ajudar na estrutura, ou mesmo, para apresentar o seu trabalho musical.

Toda e qualquer doação de alimentos, roupas, produtos de limpeza, e outros, serão encaminhadas para secretária de promoção social do Município de Campos.

Ficando a cargo da mesma, distribuir da melhor maneira as doações para os desabrigados.
As bandas participantes são:

Cactus Kid,
3 º Mandato,
Reubes Pess,
Aviadores do Brazil,
Kamikaze 80
Segredo de Estado
Projeto Punk,
Eixo nacional,
Shanner Dragon
Inner Side,
Evolução da Espécie,
RD,


Aos amigos e companheiros da área de comunicação solicito que na medida do possível nos ajude na divulgação do evento. Romualdo Braga, voluntário e Membro da Comissão Organizadora do Evento. Contato: (22) 99083034

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

BIÓLOGO CRIA ARMADILHA CONTRA O AEDES


Do jornal Diário do Nordeste, 24 de fevereiro, 2005



CRATO (CE) — Preocupado com a proliferação do mosquito transmissor da dengue nessa época do ano, o biólogo Roque Morais de Brito, funcionário da Secretaria de Saúde do Estado e coordenador das endemias e zoonoses da Célula Regional de Saúde de Brejo Santo, inventou o que ele classifica de uma armadilha mortal para o Aedes aegypti com o nome de “Exterminadora das Futuras”.
O equipamento é simples e prático. O biólogo utilizou um depósito plástico de refrigerante de dois litros que é cortado acima do meio. A parte superior é colocada de cabeça para baixo na inferior, formando um funil fechado em baixo com um plástico. Ao lado funciona um suspiro feito com a tampa da garrafa de refrigerante furada. Em seguida, o depósito é cheio de água. Está pronta a armadilha.
O objetivo, segundo Roque, é a retenção das proles dos mosquitos, reduzindo progressivamente a sua disseminação no ambiente e, conseqüentemente, o número de casos de dengue.
Funcionamento: O funcionamento do equipamento é simples. As fêmeas dos mosquitos são atraídas pela evaporação da água acumulada na parte superior externa do recipiente para fazer a sua ovoposição. As larvas passam naturalmente para a parte externa da armadilha, ficando confinadas, enquanto os mosquitos adultos ficam presos na parte interna. De 15 em 15 dias, a água é trocada, colocando-se uma colher de sopa de detergente e agitando-a.
O biólogo recomenda que a armadilha seja instalada nos locais sombreados de casas, prédios e árvores. Roque Morais de Brito diz não ter nenhum interesse comercial no invento. O objetivo é ensinar as pessoas uma forma prática de exterminar o mosquito e combater a dengue na região.

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Opção de Tratamento Homeopático na Rede Pública


O Município de Macaé no seu próximo concurso público para a área de saúde vai abrir vagas para médico homeopata.


Independente de o gestor da saúde no município aceitar ou não as doses mínimas da homeopatia, considero que é importantíssimo oferecer essa modalidade de tratamento para o públco do SUS, para o público que não pode ter um plano de saúde.


Alguém pode argumentar: mas o estado não pode arcar com gastos em uma modalidade terapêutica que não é comprovada cientificamente.


A minha resposta a esse argumento é: o estado não vai aumentar o seu gasto, vai reduzí-lo!
Ademais, a questão da cientificidade da homeopatia é uma questão da biologia molecular, não é da medicina! A medicina trabalha com resultados empíricos e não com modelos "in vitro".


Se o público sem-plano de saúde não puder ter acesso à homeopatia por falha de comprovação biológica de sua eficácia, deveria ser proibida a sua prática privada e consequentemente pelos planos de saúde.


Não é o que se vê!
Quase todas as empresas de medicina de grupo oferecem a homeopatia com opção terapêutica. Há uma grande demanda e sobretudo, há apresentação de resolutividade nas estatísticas das empresas de medicina de grupo. Uma empresa particular não paga este serviço por opção filosófica. Paga por causa da demanda e por causa da comprovação clínica da eficácia.


Espero que todos tenham entendido a diferença da comprovação da eficácia biológica e a comprovação da eficácia clínica. A primeira é em células. A segunda é em seres humanos.


Desse modo, entendo que democraticamente os municípios, como o de Campos, poderiam seguir o exemplo de Macaé e iniciar um programa de medicina homeopática, acupuntura e fititerapia, também chamado de programa de medicina complementar. Esse programa poderia oferecer consultas nos postos médicos em regime ambulatorial e nos chamados NASF.


O NASF é um programa que significa núcleo de apoio à saúde da família. Funciona em sintonia com o PSF e abrange dois ou três polos do mesmo. Além de Homeopatia, o NASF oferece Psiquiatria, Psicologia, Fisioterapia e Acupuntura. A sua implementação traz mais verba de saúde para a região.


Quem é contra a inserção destas práticas complementares (não são alternativas) na rede pública, ainda não pôde testemunhar a alegria de uma senhora de 80 anos melhor de sua asma. Ainda não pôde ver o riso estampado na face na mãe de uma criança que não apresenta mais episódios recidivantes de amigdalite ou sinusite. Não sentiu como é bom libertar um idoso de antiinflamatórios para seu reumatismo crônico, ou melhorar o humor de um jovem tímido, ou a insegurança de uma adolescente medrosa.
Esses exemplos são reais e os retiro de meu arquivo do consultório e do ambulatório do Hospital Álvaro Alvim, onde atendo o SUS. Aliás, onde há uma demanda reprimida para o atendimento com médico homeopata. Entretanto, apesar de este hospital me ceder espaço para esta especialidade, penso que o mais correto seria que fosse um espaço da secretaria de saúde do município, com medicação homeopática dispensada em farmácia própria ou comprada à uma farmácia local.


Ofereço aos gestores que iniciam a sua nova etapa do cuidar do ser humano em Campos, a possiblidade de um projeto dessa natureza.

domingo, 4 de janeiro de 2009

Dr. Wilson Paes está na Paz!




Nosso estimado colega Dr. Wilson Paes foi convocado por ordens superiores para assumir uma função em planos mais altos da existência. Essa é a visão que este blog tem a respeito da partida do distinto médico Wilson Paes.




Vá Wilson, na Paz!




Deus te cubra de bênçãos, pois certamente sua conduta em vida fez por merecer esta dádiva!




O corpo está sendo velado na Faculdade de Medicina de Campos e terá o seu descenso no cemitério do Caju hoje, em hora ainda incerta!