sábado, 31 de janeiro de 2009

LAÍS PEIXOTO, uma valente que volta


Acompanhando a idéia do amigo Ricardo André Vasconcelos, de homenagear a Laís com um poema, vou deixar aqui a poesia de Auta de Souza que consta de seu único livro HORTO e que trata-se de uma rara e sublime exposição sobre o tema que o Padre Antônio Vieira considerava " a mais indesejável das gentes", que é a morte.


Fugir a mágoa terrena
E ao sonho que faz sofrer
Deixar o mundo sem pena
Será morrer?
.
Fugir neste anseio infindo
À treva do anoitecer,
Buscar a aurora sorrindo
Será morrer?
.
E ao grito que a dor arranca
E o coração faz tremer,
Voar uma pomba branca
Será morrer?
.

Lá vai a pomba voando
Livre, através dos espaços...
Sacode as asas cantando:
"Quebrei meus laços!"
.
Aqui n’amplidão liberta,
Quem pode deter-me os passos?
Deixei a prisão deserta,
"Quebrei meus laços!"
.

Jesus, este vôo infindo
Há de amparar-me nos braços,
Enquanto eu direi sorrindo
"Quebrei meus laços!"

Auta de Souza (HORTO)

E rogando a Deus que receba essa corajosa mulher, que enfrentou a ironia, enfrentou a crueldade humana, a estupidez dos poderosos e a covardia dos pusilânimes.

Que ela receba a glória por suas atitudes e por seu caráter sincero, amigo, bondoso e cativante!

Viva Lalá!
Viva! ... Lalá!

(A foto acima é "emprestada so blog do Ricardo André e ali estão na ordem da esquerda para a direita, as irmãs, as filhas do Peixotinho e D.Baby : Marise, Alcione, Laís, Joana e Nina)

2 comentários:

Centro de Artes Kapitar disse...

Belas e verdadeiras palavras, querido! A Lalá é assim mesmo. E não havia outro jeito: ou se gostava dela ou não. Indiferente, jamais.
Não consegui ir ao seu velório, mas fiquei orando por um suave "quebrar de laços" dela.

Beijo

Ah, passei pra ler o artigo do Monitor do jeito que disse que faria. rs

Bom domingo!

gus e didi disse...

Mariza.. é a mais nova das peixotinhas.. minha querida mãezinha.. abraço e obrigado pelo carinho a essa minha querida madrinha..