segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Não Existem Homeopatas

Muitos me perguntam se eu ainda sou homeopata.
A resposta é uma coisa que eu mesmo só descobri há pouco tempo: Não existem homeopatas! Existem médicos!
Homeopata não é substantivo, é adjetivo. Da mesma forma que não existem "amarelos" e nem "bonitos"e nem "horrível"! Existe um objeto amarelo, algo bonito e outra coisa horrível. O que existe é o substantivo , o adjetivo é só o tempero do substantivo. É da nossa cultura substantivar os adjetivos e dar-lhes uma identidade que não lhes pertence. A identidade é do sujeito, o adjetivo lhe dá o colorido especial e característico. Homeopata é o adjetivo para o médico que tem a opção terapêutico preferencial pela homeopatia. Logo, não existem homeopatas. Existem médicos que podem usar a homeopatia como primeira opção terapêutica, mas jamais como a única. Uma infecção exige antibióticos. Uma falta de ar grave exige um corticóide. Um médico, mesmo que se especialize em homeopatia, não pode negar ao seu cliente um alívio rápido e seguro dos sintomas apenas para sentir que foi "fiel à uma determinada escola terapêutica". Isso é anti-ético! Sedare dolorum divinum est! Esta frase de Hipócrates significa: Aliviar a dor é um ato divino. Dor física e dor moral. Só quem nunca sentiu a dor de uma depressão psíquica é que não entende.
Resolvi estudar os psicofármacos por que percebi que ao longo de minha carreira como médico homeopata, eu não obtinha resultados para dores morais profundas e duradouras. Vez por outra eu empregava antidepressivos com muita cautela.
Mas eu tive contato na UFRJ com excelentes professores de Psiquiatria na minha graduação que já aconteceu há bons 26 anos. E resolvi estudar com eles, num curso de uma universidade particular, cujos professores são quase todos do IPUB, o antigo Instituto de Psiquiatria da Universidade do Brasil.
Não posso negar que foi uma grande guinada em minha vida profissional aos 50 anos de idade. Mas estou feliz. Não quero ver jovens medrosos, mulheres sofrendo e homens inseguros. Quero ajudá-los.
Em breve escreverei um pequeno livrinho falando da psiquiatria e da homeopatia em sintonia.
Obrigado por lerem este post.

3 comentários:

Tecnenfermaginando disse...

de utilidade pública!

mto boa a informação!

um carnaval de prevenção pra vc, doutor!!

:)

Centro de Artes Kapitar disse...

Olha eu aqui aplaudindo o post... como paciente e como criatura que admira outra de coragem. Essa mania que as pessoas têm que achar que se tem que ser isso ou aquilo! Posso estar enganada, mas em nosso país isso é gritante. Um ator não pode ser cantor ao mesmo tempo. É preciso escolher onde atuar. Ora, bolas, o ideal é que um ator saiba cantar e dançar para usar melhor seu dom de ator. E parece ser assim em toda e qualquer profissão... nos exigem "especializações". Especialista em quê? Você está mais que certo. Por isso é meu médico (homeopata, psiquiatra, amigo...) preferido.

Bj

Auci

Rosângela - discípula aprendendo... disse...

Puxa!!! Obrigada por escrever este Post, isso sim.