sábado, 19 de dezembro de 2009

Nem todo remédio de baixo custo é "genérico"


Há um desconhecimento muito grande quanto à Lei dos Medicamentos Genéricos.


A Lei nº 9.787 é de 10 de fevereiro de 1999 e entrou em vigor em 9 de agosto de 1999.


Esta Lei cria três categorias principais de medicamentos:



1- Medicamento de Referência :

produto inovador registrado no órgão federal responsável pela vigilância sanitária e comercializado no País, cuja eficácia, segurança e qualidade foram comprovadas cientificamente junto ao órgão federal competente, por ocasião do registro.

Resumo: É o original. É o lançamento. Geralmente é o mais caro.


2- Medicamento genérico:

É um medicamento quase idêntico ao produto de referência ou inovador, que se pretende ser com este intercambiável, geralmente produzido após a expiração ou renúncia da proteção patentária ou de outros direitos de exclusividade, comprovada a sua eficácia, segurança e qualidade, e designado pela Denominação Comum Brasileira ou, na sua ausência, pela Denominação Comum Internacional.

Resumo: É uma cópia autorizada do original. É cerca de 30 % mais barato que o medicamento de referência.


3- Medicamento Similar:

É aquele que contém o mesmo ou os mesmos princípios ativos, apresenta a mesma concentração, forma farmacêutica, via de administração, posologia e indicação terapêutica, preventiva ou diagnóstica, do medicamento de referência registrado no órgão federal responsável pela vigilância sanitária, podendo diferir somente em caracteristicas relativas ao tamanho e forma do produto, prazo de validade, embalagem, rotulagem, excipientes e veículos, devendo sempre ser identificado por nome comercial ou marca.

Resumo: É um produto muito semelhante ao medicamento referência, embora não seja genérico. Gerlamente é mais barato que o de referência, podendo ser inclusive mais barato que o genérico.


Há entetanto, uma quantidade muito grande de medicamentos similares, bons e maus.

O máximo cuidado em comprar similares.


Cuidado com aqueles similares que são "empurrados" por balconistas. Podem ser medicamentos "bonificados", ou seja, os laboratórios dão maior porcentagem ao vendedor pela sua venda.


Eu recomendo procurar o original ou o genérico, de preferência de um laboratório reconhecidamente confiável.


Há bons similares. Se o laboratório é conhecido e confiável, é possível comprar os bons similares que são muitas vezes mais baratos que os genéricos.


Um comentário:

Rosângela disse...

Que Deus levantem íntegros, para desmascararem a falsidade.