sexta-feira, 24 de outubro de 2008

A hora final...


Escutei funks na rua com ofensas morais graves a Rosinha e sua filha.


Estou recebendo e-mails anônimos, nos comentários ao meu blog, ofensivos a mim por meu apoio a Rosinha. Obviamente, ao moderá-los , não os publico.


Nestes e-mails apócrifos, pessoas que se dizem meus clientes, ofendem a mim, à minha especialidade (Homeopatia) , à minha família e até mesmo à minha religião( Espiritismo).


Soube que circula pela cidade panfletagem também apócrifa usando linguajar chulo, altamente ofensivo à ex-governadora.


Mas a única coisa certa é da impugnação confirmada de Arnaldo!


Soube nos comentários de um outro blog que a pesquisa proibida do IBOPE dá algo acima de 60% para Rosinha.


Há também a ação desenfreada de franco-atiradores da tropa de choque do poder, esganiçando-se e estrebuchando-se na frenética ansiedade pela perda do manancial de dólares.
Estão à compra de votos por uma pequena fortuna, negociando com os "formadores de opinião" que receberiam alguns milhares de reais para convencer um número certo de desavisados.
Esta estratégia abandonaria o amadorismo da compra de votos no varejo e partiria para o atacado!
Com estratégia de marketing e muita grana (para poucos escolhidos, que estão sendo pescados entre os que apóiam o 15).
Não fui escolhido, graças ao bom Pai, mas sei de um "escolhido".
Parece que recusou... ou não!
...as ofertas sobem...
...é leilão...
...é o desespero final ! ...

Por isso faço um último apelo aos ainda indecisos,
aos ainda partidários da abstenção branca ou nula,
que protestem oferecendo a Rosinha a chance de vencer as bestas do apocalipse campista!


Que o Senhor nos proteja!

.

.




Um comentário:

Flávia D'Angelo disse...

Flavio, tirei isso do Blog de Avelino, e vejo que atè os padres não querem perder vantagens de convênios...afinal, tb não trabalham:

"Caro irmão(a)
A Igreja Católica fala muito em voto consciente. O que significa isso para as pessoas? Cada um é livre para escolher seu candidato. Com certeza, viva a democracia!

Nestes 8 anos do casal Garotinho no poder no Estado do Rio, os professores perderam muito como o baixíssimo salário, os policiais e principalmente as obras sociais ligadas à Igreja Católica. Os benefícios só eram dados às Igrejas protestantes. Este é um dado relatado por todos os bispos do leste 1 (Estado do Rio-num total das 10 dioceses).

Não se trata de nenhum preconceito contra nenhuma outra religião, mas esta foi a postura adotada. Infelizmente, muitos católicos estão iludidos com a mudança pretendida por tal candidata.

Sabemos que a Igreja não deve fazer campanha nas missas, mas estamos perdendo de cheio em relação aos protestantes em questão de eleger o candidato próprio. Não se trata de ter um candidato católico para governar para os católicos. O eleito será o líder de todos, visando o bem comum.

Estou passando esta mensagem para você com a autorização do sr. Bispo, numa reunião em que participei, ontem com alguns padres do município de Campos.

Não podemos cruzar os braços diante de tal situação, muitas dioceses do Brasil têm assumido esta causa e tem conseguido contribuir para eleger pessoas honestas. Ainda somos a maioria! Por isso, devemos lutar por esta causa.

Muitos católicos acham que Igreja não se deve envolver com política. Então vamos deixar os protestantes tomar contar de tudo! O silêncio dos bons é que contribui para que os lobos se prevaleçam sempre.

Claro, em Campos não temos opção, mas na atual conjuntura, o Arnaldo Viana ainda é o melhor. Procure divulgar, orientando todas as pessoas.
Abraço
Pe. Crimário (Verdan)
Campos dos Goytacazes, 22 de outubro de 2008

Aos irmãos e irmãs católicos,

Graças a Deus vivemos em um país democrático. Isto quer dizer que somos livres para expressar opinião acerca de diversos assuntos, inclusive aqueles, que muitos não querem tomar posição: religião, política e futebol.

Cada pessoa é livre para escolher seu candidato e por ele fazer campanha. Porém, o respeito tem que prevalecer. Bastam de campanhas baixas, ofensas pessoais no pleito eleitoral. Precisamos ouvir dos candidatos suas propostas de governo e cumprimento das mesmas. Devemos agradecer a lei eleitoral que proibiu os shows em comícios. Pois poucas pessoas se interessavam em saber das propostas dos candidatos e iam apenas porque teria show. Assim, a ignorância política continuava da parte de muitos eleitores.

Nós, católicos, não queremos fazer campanha contra irmãos evangélicos candidatos, mas o grande perigo é de se eleger um governo municipal que poderá fazer uma gestão anti-católica, uma política de exclusão em relação aos projetos católicos. Tem-se no município alguns convênios com a prefeitura de obras sociais e educacionais que, infelizmente, dependem da ajuda municipal.

Muitos estão criticando os padres que estão em consonância com o bispo. Não se trata de uma atitude isolada e pessoal, mas de obediência e em unidade com a autoridade competente da Diocese. Outras dioceses têm tomado medidas parecidas com esta aqui de Campos.

Como Católico, recorro às leis da Igreja, encontradas no Código de Direito Canônico que prevê esta posição da parte do bispo e do clero, caso o exijam a defesa dos direitos da Igreja ou promoção do Bem comum. Assim diz o Código de Direito Canônico, Cân.287, §2º:


O Cânon 287 diz §1º "Os clérigos sempre favoreçam de modo máximo a manutenção entre os homens da paz e da concórdia fundada na justiça."

§2º "Os clérigos não tenham parte ativa nos partidos políticos e na direção de associações sindicais, a não ser que a juízo da competente autoridade eclesiástica, o exijam a defesa dos direitos da Igreja ou a promoção do bem comum".

Já circula na internet e muitos fazem cópia para distribuir, a carta do Pe. Crimário Verdan sobre o assunto. No entanto, como leigo, quero expressar meu apoio ao clérigo e ao bispo. Não se trata, da parte dos padres, de formar opinião por estar inscrito em partidos políticos, mas por vontade da autoridade eclesiástica competente, ou seja, o bispo diocesano, em defesa dos direitos da Igreja ou a promoção do bem comum.

Em momento algum se quis pensar em católico que governasse só para católicos, pois isto não é Democracia. Até porque, seria incoerência da Igreja, pois o candidato a vice-prefeito, Hélio Anomal se declara evangélico e a Igreja Católica promove o ecumenismo, isto é, o diálogo com outros cristãos. Queremos, para o bem comum, um governo que o fará para todos sem distinção de religião e classe social.

Como católico, faço desta a minha bandeira e tenho consciência que erro maior se comete quando não se obedece. Quem obedece não erra. Abaixo assino, pois não sou covarde.
Inácio de Loyola


Agora uma dúvida:Bem comum é votar em Arnaldo??