quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Um dilema necessário

Algo de podre no ar!
Sinto o odor fétido espraiado no ar da planície.
E vem do planalto central.
Uma questão considerada das mais insignificantes dentre as que estavam sendo analisadas pelo foro mor eleitoral.
Surpreendentemente é a análise mais adiada e demorada de todas. Análise complexa com entradas e saídas de personagens importantes do cenário.
Por fim, uma decisão estapafúrdia: considera-se que há condições de elegibilidade do acusado, mas há ainda mérito a ser julgado.
Festa na cidade!
Haverá um segundo turno das eleições campistas.
Os candidatos que foram derrotados são o fiel da balança.
Eles é que resolverão neste curto espaço de tempo quem é o mais indicado.
Eu fico com a opção de escolher a alternância de poder.
O poder em nossa cidade, de estruturas carcomidas por uma oxidação perniciosa, necessita de alterações, ao menos no terceiro escalão.
Este terceiro escalão do poder é infestado por uma espécie de erva daninha que está matando a alma cidadã. Algo do elan vital de nossa acrópolis morre a cada notícia de alguém que enriqueceu da noite para o dia, de alguém que comprou um apartamento de quatro suítes, de projetos multimilionários aprovados, de muitas e muitas superfaturações.

Do outro lado, encontram-se as figuras do casal Garotinho que tenta retornar a arena política depois de duas insatisfatórias experiências no governo estadual.
Esse casal acha dura oposição nos funcionários públicos estaduais, principalmente os professores. Estes alegam que foram maltratados por Rosinha quando esta era sua governadora.
Não posso discutir os detalhes, pois não os vivi.
Todavia, como é urgente a alternância do poder em nossa pobre cidade, eu peço que os funcionários públicos estaduais façam uma avaliação como campistas e optem pela alternância do poder, como saída providencial para nossa cidade, dando a Rosinha uma oportunidade.
Uma oportunidade de retratar-se, de redirecionar sua ação na política e retornar um dia, quem sabe ao cenário nacional.

Peço aos que estão indecisos ou os que votaram na minha amiga Professora Odete que optem pela Alternância de Poder em Campos! Mesmo que não seja a sua opção original. É a opção possível!
Peço que não lavem as mãos diante do sangue das crianças maltratadas, de jovens desesperançados, de velhos desassistidos, de professores, médicos, dentistas, enfermeiros, técnicos os mais diversos, que não podem assumir sua vaga nos quadros do serviço público municipal, pois estes estão ocupados por grileiros do emprego legal.


São cerca de 30 mil grileiros injustamente ocupando a vaga de um honesto concursado. Quantos eu conheço que esperam a sua chamada, após ser aprovado honestamente em concurso!

É diante disso que muitos esperam manter as “mãos limpas” nos aparentemente dignos votos nulos.

Não meus amigos, o voto nulo é uma ação pilatesca. Pilatos não quis sujar-se na condenação de Jesus e absteve-se de julgar, eternizando o lavar de mãos mais famoso da história da humanidade.


O voto nulo é um abster-se de escolher um que fatalmente nos governará.

“Mas eu não sujarei as minhas mãos com nenhum dos dois.” Como não?

Ao anular o voto, abdicando do direito de dizer “sim” ou “não” a atual administração municipal, representada nesta eleição plebiscitária pelo Arnaldo, vê-se dois erros:

1- Manter-se em posição confortável e supostamente “acima do bem e do mal”. Qual o erro dessa decisão? Ninguém pode colocar-se em posição neutra diante de questões graves, pois somos necessariamente cidadãos e vivemos de nossas escolhas.
A pretensa neutralidade pode estar escondendo um sentimento de superioridade.


2- Sendo um beneficiário dos serviços municipais, sendo usufrutuários de bens públicos, não nos parece lícito negar-se a participar da escolha.

Portanto, peço sinceramente o voto para Rosinha, com alternativa de reformulação total do primeiro, segundo e terceiro escalões do poder, o que fatalmente dará ares de renovação política, econômica, cultural, social e moral em nossa Campos.

3 comentários:

Flávia D'Angelo disse...

Ah Flávio, se todos fossem iguais a vc...apoio completamente seu pensamento...chega de impunidade, de sofrimento da saúde e de roubalheira...cansei!Quero mais para minha cidade, pelo menos, quero tentar uma mudança, nem que seja de poder...as pessoas precisam entender que tudo muda, e que aquele que vive dentro do que é certo permanecerá, independente de quem esteja no poder...isso é consciência.Finalmente, hj sou concursada em dois lugares, e durante meu tempo de contrato na Prefeitura, não fiz outra coisa a não ser me dedicar e estudar muito para conseguir tal feito. Fui muito humilhada e desprezada na Secretaria de Saúde, até roubada...tudo por causa da política e da falta de critérios de escolha dos profissionais. Vejo hj vários profissionais maravilhosos, humanos e dedicados que são esculachados na Secretaria...isso me envergonha! Espero mudanças, por isso voto 15. Chega de impunidade, pois não podemos contar com o judiciário, com suas brechas para livrar maus gestores da punição.Assassino de Daniel absolvido, vereadora presa eleita...e por aí vai...Vergonha total!!Estou enojada com tudo isso e com parte da população de nossa cidade, corroborando com tal conduta...e o pior é que são os mais necessitados, os mais pobres...a que ponto chegamos!!!Tristeza, é só o que sinto...a sensação de impunidade nso ronda, com o aval dos campistas!!
Tem que ser muito espírita para acreditar que um dia isso vai acabar.EU ACREDITO!!
SUA FÃ!!

Gervásio Neto disse...

Flávio,
respeito seu ponto de vista. Mas não posso dar uma chance a um cidadão que usa a religião para fins politiqueiros. Não posso dar uma chance para um casal que não fez nada por Campos em 8 anos. Não posso dar uma chance para pessoas que humilharam os professores neste mesmo período. Sou filho de uma, você bem sabe.
Estou vivendo um momento parecido com o que vivi no primeiro turno. Posso anular meu voto, votar em branco....só uma coisa é certa:
GAROTINHO NUNCA MAIS!!!!!!!
um abraço!!!!

Flávia D'Angelo disse...

Flávio, tomei a liberdade e coloquei seu perfeito texto em alguns blogs, na esperança de divulgar um poco de argumento sério, dá uma passada no blog de Cleber Tinoco, onde seu texto é elogiado...e coloquei depois que o texto te pertence,ok?!